Pular para o conteúdo

Tratamento para psoríase: pomadas, remédios e outras opções

tratamento para psoriase

A psoríase é uma doença inflamatória da pele, crônica, não contagiosa, que não tem cura. Mas felizmente, existem várias opções de tratamento para psoríase.

 

Ela costuma acometer partes do corpo localizadas e articulações, como joelho, braços, cotovelo, couro cabeludo, unhas e mucosas. 

 

E sua incidência é bastante comum entre a população, podendo se desenvolver em qualquer idade, mas principalmente entre os 15 e 35 anos. 

 

A psoríase atinge cerca de 190 milhões de pessoas (2 a 3% da população) no mundo todo e três milhões de pessoas só no Brasil.

 

Embora não tenha causas definidas, sabe-se que ela pode ter predisposição genética em 30% dos casos, além de estar relacionada a fatores como estresse ou baixa imunidade. 

 

Há também vários tipos de psoríase, que são diagnosticadas dependendo da localização e características das lesões, porém todas provocam lesões avermelhadas na pele cobertas por escamas esbranquiçadas. 

 

O tratamento para psoríase vai depender da variação da doença, mas apesar de não curar definitivamente, pode melhorar a qualidade de vida dos pacientes, principalmente amenizando os incômodos físicos e estéticos.

 

Veja a seguir as opções de tratamento para psoríase e muito mais! 

Afinal, o que é psoríase?

A psoríase é uma doença de pele inflamatória, crônica e não contagiosa, que em alguns casos mais raros pode afetar até as articulações (artropatia ou psoríase artropática).

 

Embora existam vários tipos de psoríase, todas as manifestações apresentam sintomas comuns como lesões róseas ou avermelhadas ressecadas na pele (escamas esbranquiçadas), que podem coçar, provocar queimação ou até doer. 

 

Apesar de ter uma incidência bastante comum (1,3% da população brasileira – 5 milhões de pessoas), suas causas ainda não são muito claras, mas sabe-se que o seu desenvolvimento ou agravamento costumam estar relacionados à doenças autoimunes, imunidade baixa ou a períodos de estresse.

 

Além disso, cerca de 30% a 40% dos casos têm uma predisposição genética (histórico familiar), ou seja, ela é também uma doença multigênica.

 

Outros fatores também costumam ser agravantes, como a obesidade, clima mais frio, algumas infecções, uso de medicamentos prolongados como antimaláricos ou para tratar hipertensão e transtorno bipolar, bem como o consumo de bebidas alcoólicas e tabagismo.

Como diagnosticar a psoríase?

Um dermatologista pode diagnosticar a psoríase facilmente através de exames físicos e clínicos, ao observar as lesões junto ao levantamento médico e familiar do paciente.

 

Alguns casos podem exigir uma raspagem da pele para colher amostras das escamas e investigar mais a fundo as características das lesões (Sinal da Vela).

 

Há também um procedimento chamado Sinal de Auspitz ou orvalho sangrento, em que se faz uma raspagem da pele com uma cureta para sangrar levemente a lesão e examinar o conteúdo. 

 

No caso de suspeita de outras doenças após essas observações, o dermatologista pode solicitar uma biópsia do material coletado para chegar a uma diagnóstico mais preciso. 

 

Mas, a maioria dos casos são diagnosticados já durante os primeiros exames: clínico e físico no consultório.

Como tratar psoríase?

Muitos questionam se a psoríase tem cura, infelizmente não. Mas pode ser tratada e controlada de diversas formas, a fim de aliviar os seus sintomas e a sua recorrência.

 

Mas, por ter algumas variações diferentes, cada tratamento para psoríase vai variar dependendo de cada situação, como o seu quadro clínico, gravidade e tipo de lesões.

 

Portanto, cada tipo de psoríase vai responder melhor a um tipo diferente de tratamento para psoríase (ou a uma combinação de terapias). 

 

Atualmente existem diversas opções terapêuticas disponíveis, sendo possível conviver com uma pele sem o aparecimento das lesões, independentemente da gravidade da doença.

 

Assim, o tratamento é essencial para manter uma boa qualidade de vida.

 

Em geral, o tratamento para psoríase é feito através do uso de cremes ou pomadas para psoríase com poderes anti-inflamatórias, para diminuir a coceira e manter a pele hidratada.

 

Além disso, a exposição ao sol logo nas áreas afetadas também é recomendada para controlar as lesões, através da simples exposição solar pela manhã e tarde ou por fototerapia, uma exposição aos raios UVA e UVB controlada em clínicas dermatológicas.

 

Mudanças na alimentação também podem ajudar a controlar a psoríase desintoxicar o organismo, através do consumo de alimentos biológicos, diminuição de certos temperos, quantidade de alimentos processados ou industrializados.

Tipos de psoríase e formas de tratar

A psoríase pode se manifestar de diversas formas diferentes, com alguns sintomas em comum outros diferentes, porém cada uma vai depender de suas características e níveis de gravidade. São elas:

 

Como tratar psoríase vulgar ou em placas

Esse é o tipo mais comum da doença, normalmente apresentando apenas as placas avermelhadas, secas com escamas esbranquiçadas. 

 

Além disso, a psoríase vulgar pode provocar coceira, dor e atingir praticamente várias regiões do corpo, até mesmo as genitais, podendo até se alojar ao redor das articulações, rachando e sangrando. 

 

No entanto, é uma variação leve, que pode ser tratada com medicamentos tópicos, em casos mais leves ou medicamentos orais, nos mais severos, ou até uma combinação de ambos, além de exposição solar controlada.

 

Como tratar psoríase no couro cabeludo

A psoríase no couro cabeludo (psoríase capilar) é um tipo que provoca o surgimento de placas avermelhadas e escamas mais espessas, muitas vezes confundida com caspa. 

 

Em geral, é tratada com uma combinação de terapias tópicas e orais, além de cuidados de higiene pessoal mais específicos.

 

Como tratar psoríase ungueal

A psoríase ungueal atinge as unhas das mãos e dos pés, engrossando-as e descamando-as, fazendo com que o crescimento fique anormal (deformado) e com mudança de cor (amarelada). 

 

Casos mais graves fazem a unha descolar do leito ungueal e cair. O tratamento pode ser tópico, nos casos mais leves ou uma combinação com medicamentos orais.

 

Tratamento para psoríase gutata

A psoríase gutata é causada por infecções bacterianas, que atingem principalmente a garganta, causando pequenas feridas em formato de gota e finas escamas nas pernas, nos braços, no tronco ou no couro cabeludo. 

 

Ela é tratada com uma combinação de remédios tópicos e orais.

 

Tratamento para psoríase pustulosa

Essa variação provoca pústulas (pequenas bolhas com pus), além das lesões avermelhadas tradicionais, em todas as regiões do corpo ou áreas menores, como nos pés, dedos ou nas mãos. 

 

Em geral, as pústulas aparecem logo após as manchas avermelhadas na pele, secando em alguns dias, mas podendo aparecer novamente nas próximas semanas. 

 

A psoríase pustulosa também provoca coceira intensa, calafrios, fadiga excessiva, febre e dor de cabeça quando evolui para um quadro generalizado, exigindo tratamento rápido com medicamentos orais.

 

Como tratar psoríase invertida

A psoríase invertida provoca o surgimento de manchas vermelhas e inflamadas, afetando principalmente regiões úmidas do corpo, como virilha, axilas, ao redor dos genitais e embaixo dos seios. 

 

Assim, ela é mais comum em pacientes que sofrem de sudorese excessiva ou obesidade, especialmente quando há um aumento de atrito nessas regiões.

 

O tratamento para psoríase invertida é feito com uma combinação de medidas preventivas, além do uso de medicamentos tópicos e orais.

 

Como tratar psoríase artropática

Esse tipo de psoríase afeta as articulações além da pele, principalmente as da coluna, das juntas dos quadris e dos dedos das mãos e dos pés. 

 

Portanto, além de ter que lidar com a inflamação na pele e descamação das lesões, você tem fortes dores nas articulações, podendo se agravar e levar à rigidez progressiva e até deformidades permanentes, como na artrite. 

 

O tratamento para psoríase artropática é feito através de combinações de terapias, orais e tópicas, inclusive com injeções.

 

Tratamento da psoríase eritrodérmica

A psoríase eritrodérmica é o tipo menos comum da doença, sendo que suas causas são desconhecidas, mas sabe-se que pode ser desencadeada por infecções, queimaduras graves, tratamentos mal feitos ou psoríases mal controladas.

 

Ela se manifesta de forma sistêmica, atingindo todo o corpo com manchas vermelhas, coceira e ardência intensa.

 

O seu tratamento deve ser feito rapidamente, através de uma série de terapias diferentes, dependendo do caso.

 

Tratamentos para psoríase

Como vimos, além de várias variações da doença, o tratamento para psoríase também pode variar, conforme a avaliação e recomendação do dermatologista e tipo da doença, podendo incluir os seguintes:

 

  • Tratamento tópico: cremes e pomadas para psoríase para serem aplicados diretamente na pele ou usados em conjunto com outras terapias, nos casos de psoríase leve.
  • Tratamentos sistêmicos: remédios para psoríase orais (comprimidos), mais indicados aos casos de psoríase grave e/ou com artrite psoriásica ou pacientes com psoríase leve resistentes ao tratamento tópico ou fototerapia.
  • Tratamentos biológicos: medicamentos injetáveis, em casos de psoríase grave.
  • Fototerapia: terapia com exposição da pele à luz ultravioleta consistente e controlada feita por profissionais e locais especializados.

Tratamento para psoríase com pomada (tratamento tópico)

Pacientes que sofrem de psoríase leve podem iniciar o tratamento tópico com o uso de cremes hidratantes ou pomadas, a fim de manter a pele úmida e hidratada, diminuir a coceira e a vermelhidão das lesões. 

 

É uma opção mais barata, de bom custo benefício, pois a melhora das lesões pode vir com uma semana de uso.

 

Em geral, os produtos mais utilizados são:

  • Cremes ou loções dermocosméticas hidratantes de composição mais espessa ou vaselina; 
  • Produtos dermocosméticas de formulação com vitamina D, alcatrão ou retinol;
  • Pomadas corticoides, como a dexametasona ou hidrocortisona;
  • Shampoos ou loções capilares de formulação específica, no caso da psoríase no couro cabeludo.

Tratamento para psoríase com remédio (tratamento sistêmico ou biológico)

O tratamento para psoríase tanto sistêmico quanto biológico, podem ser feitos com medicamentos  de ação anti-inflamatória, para evitar e controlar o processo inflamatório do organismo e crescimento das lesões, bem como reforçar o sistema imunológico, diretamente relacionado ao surgimento da doença.

 

Eles são mais indicados em casos de lesões graves, conforme o diagnóstico do dermatologista. 

 

Eles podem ser na forma de comprimidos ou injetáveis, como a seguir:

  • Imunossupressores ou imunomoduladores, como o metotrexato, ciclosporina e apremilast;
  • Agentes biológicos, como o adalimumabe e o brodalumab;
  • Medicamentos para fortalecer o sistema imune, como os multivitamínicos, probióticos, própolis, suplementos de vitamina D, entre outros.

Tratamento com luz ultravioleta (fototerapia)

O tratamento para psoríase com luz ultravioleta, também conhecido por fototerapia com raios ultravioleta A (PUVA) ou ultravioleta B de banda estreita (NB-UVB), ajuda a controlar o aparecimento das lesões na pele, pois além do seu efeito anti-inflamatório também evita o crescimento das células lesionadas.

 

Ele pode ser associado ao tratamento tópico, sistêmico e biológico, pois os raios UVB sobre a pele são capazes de reforçar os efeitos antiproliferativos e anti-inflamatórios dos medicamentos e pomadas. 

 

Devido à dificuldade de aplicação, o tratamento é indicado para as lesões mais graves, podendo ser feito 3 vezes por semana.

 

O PUVA utiliza combinação de medicamentos que aumentam a sensibilidade da pele à luz (psoralenos (P)), com a luz ultravioleta A (UVA), feito em uma câmara emissora da luz. 

 

Essa sessão de Puvaterapia leva poucos minutos, sendo que a sua dose é aumentada gradualmente, dependendo do tipo de pele e da resposta individual de cada paciente à terapia. 

 

O tratamento para psoríase também pode ser feito com UVB de banda estreita sem uso de medicações e, portanto, com menores efeitos colaterais.

Tratamentos caseiros para psoríase

Para além dos tratamentos convencionais, o seu dermatologista também pode sugerir outras medidas que podem ajudar a potencializar os resultados e amenizar as lesões na pele ou sintomas.

 

Alguns “tratamentos caseiros para a psoríase” são:

Alimentação adequada

Uma dieta equilibrada já deveria fazer parte da rotina de qualquer pessoa por conta dos benefícios à saúde. 

 

Afinal, uma má alimentação que carece de substâncias essenciais ao organismo costuma diminuir a sua imunidade, oque está diretamente relacionado à manifestação da doença.

 

Para uma boa alimentação, evite comidas gordurosas, muito condimentadas, processadas e industrializadas, e dê preferência aos alimentos in natura, biológicos crus, cozidos ou grelhados.

 

Alimentos ricos em ômega 3, como sardinha e salmão, ou ricos em betacaroteno, como os de cor amarelo-alaranjado, são excelentes opções, bem como consumir agrião, que ajuda a eliminar substâncias tóxicas que agravam a psoríase.

 

Além disso, evite alimentos que contenham altos níveis de cafeína, como café, chá preto, chimarrão, chocolate e pimentas.

Banho de mar e sol

A água salgada do mar junto à exposição solar faz muito bem para quem sofre de psoríase porque ambos ajudam na cicatrização da pele. 

 

A água do mar por conter sais minerais e os raios de sol, que vão agir da mesma forma que a fototerapia.

Qual o melhor tratamento para psoríase?

Apesar de não haver uma cura definitiva, você pode comprovar que existem várias opções de tratamento para psoríase e combinações de terapia para potencializar resultados e melhorar os sintomas, aumentando muito a qualidade de vida dos pacientes.

Um dos produtos dermocosméticos mais indicados para esta condição no mercado é o PsoriLess.

Ele é referência no tratamento para psoríase em todo o mundo, e um dos mais prescritos por dermatologistas.

Formulado nos Estados Unidos e aprovado pela ANVISA, ainda possui um excelente custo benefício!

PsoriLess é capaz de trazer resultados perceptíveis desde as primeiras aplicações, e na compra de qualquer produto, você participa automaticamente do Desafio PsoriLess. que devolve o seu dinheiro em 30 dias, caso não tenha resultados visíveis e satisfatórios.

O produto conta com mais de 10 ingredientes ativos, como por exemplo: Clobetasol, Ureia, LCD (Liquor Carbonis Detergens), Ácido Salicílico, Dexpantenol (Pró Vitamina B5), Óleo de rosa mosqueta, Vitamina E, Aloe Vera, Calêndula, Vitamina A, Óleo de copaíba.

Sua composição tem 4 poderes:

  • Poder Anti-inflamatório: para reduzir o inchaço e a vermelhidão das lesões;
  • Poder Hidratante: para hidratar a pele, minimizando a descamação, coceira e a espessura das feridas;
  • Poder Preventivo: que previne a recorrência dos sintomas da doença;
  • Poder Coadjuvante: que permite o uso combinado a outros tratamentos.

Para todos esses benefícios, basta aplicar a loção PsoriLess na área afetada, sem enxaguar, e continuar usando todos os dias até controlar totalmente as lesões, e mais alguns dias na semana para manter a doença controlada.

O PsoriLess é um dermocosmético que não precisa de prescrição médica, pois não apresenta risco à saúde.

Tratamento para psoríase: Antes e Depois

Veja algumas imagens reais de clientes que utilizaram o PsoriLess para tratamento da psoríase:

 

tratamento para psoriase antes e depois

Conheça o PsoriLess agora, clicando AQUI!

Mais
artigos

Inscreva-se na nossa newletter e para acompanhar todo o conteúdo sobre as

Doenças da Pele!