Pular para o conteúdo

Queratose Pilar

queratose pilar

Você já ouviu falar em queratose pilar? Uma condição de nome esquisito, responsável por deixar a superfície da pele com pequenas bolinhas avermelhadas ou esbranquiçadas e ásperas.

 

Normalmente, elas aparecem nos braços, pernas, rosto e nádegas, por conta de uma produção excessiva de queratina, que se acumula nos folículos pilosos (a base dos pelos).

 

Embora não seja considerada uma doença, nem uma condição grave, capaz de provocar sintomas como dor ou coceira, é uma alteração mais comum do que você imagina, que costuma incomodar.

 

Não existe cura, mas existe tratamento. Dermatologistas podem indicar alguns cremes para manter a pele mais hidratada, melhorar a aparência e até disfarçar as bolinhas.

 

Saiba como você pode lidar com a condição abaixo!

O que é queratose pilar?

A queratose pilar, também chamada de ceratose folicular ou pilar, é uma condição dermatológica hereditária muito comum, provocada pela produção excessiva de queratina ao redor do folículo piloso. 

 

Em geral, a condição se manifesta através de alterações na pele na forma de manchas ásperas e pequenas bolinhas avermelhadas ou esbranquiçadas, ligeiramente endurecidas, semelhantes à acne, deixando a pele com aspecto de pele de galinha.

 

Apesar de causar certo desconforto estético, por conta da aparência deixada na pele, a condição não provoca coceira nem dor, mas pode surgir em qualquer parte do corpo, sendo mais frequente nos braços, coxas, rosto (bochechas) e na região das nádegas.

 

A queratose pilar faz parte de um grupo chamado de queratoses, que se subdividem em: a actínica, causada e agravada pela exposição solar; e a seborreica, mais comum nos idosos, de coloração marrom.

 

Felizmente é uma condição benigna, que não traz riscos à saúde, e que tende a diminuir com o tempo e também com a ajuda de determinados cremes para queratose pilar.

Causas da queratose pilar

Não se sabe ao certo quais são as causas da queratose pilar, mas a principal seria a hiperqueratose, ou seja, o acúmulo de queratina nos folículos pilosos causado pelo excesso de produção dessa proteína fibrosa na pele.

 

A queratina ajuda na formação da estrutura do corpo, é responsável também pela força e elasticidade dos fios de cabelo e pelos, está presente nas unhas e também ajuda na defesa da pele, formando uma barreira contra a invasão de substâncias nocivas e infecções causadas por microorganismos.

A causa desse excesso de produção de queratina na pele é incerta, mas pode ser estimulada pelo uso constante de roupas apertadas, ressecamento da pele (falta de hidratação) ou  ictiose, carência de vitamina A, por conta de doenças hereditárias autoimunes, ou problemas dermatológicos, como a dermatite atópica. 

 

Pessoas que sofrem de doenças alérgicas e eczemas, como asma ou rinite, também têm maiores chances de desenvolver a queratose pilar.

Tipos de queratoses

  1. Queratose actínica (ceratose actínica): condição causada pela exposição solar, em áreas como face, orelhas, couro cabeludo em calvos, colo, dorso das mãos e antebraços.  Se apresenta na forma de lesões avermelhadas ou ligeiramente acastanhadas, com uma superfície áspera e queratósica. Quando aparece nos lábios é chamada de queilite actínica, mas também é conhecida por ceratose solar ou senil, por conta da exposição solar crônica a longo prazo. Neste caso, dependendo do grau das lesões, pode ser considerada pré-maligna, com risco de evoluir para o carcinoma espinocelular.
  2. Queratose Seborreica: lesão benigna da pele, de origem genética, de aparência arredondada ou irregular, acastanhada, amarronzada ou negra, e de aspecto verrucoso, frequente na face e tronco, podendo crescer e se tornar volumosa.
  3. Queratose Pilar (folicular): pequenas manchas avermelhadas ou esbranquiçadas, que aparecem principalmente nos braços, pernas, nádegas e bochechas, por conta do acúmulo de queratina nos folículos pilosos.
 

Sintomas da queratose pilar

Como não é considerada uma doença, propriamente dita, a queratose pilar não apresenta sintomas graves, podendo até ser assintomática.

 

Ela provoca apenas o aparecimento das pequenas bolinhas avermelhadas ou esbranquiçadas, levemente endurecidas na superfície da pele, quando a mesma se encontra mais ressecada e áspera.

 

Não apresenta coceira nem dor, sendo o único desconforto de ordem estética. 

 

Normalmente, aparece antes dos dois anos de idade, acometendo face e braços, com melhora gradual até o final da infância e início da adolescência. 

 

Há quem desenvolva também aos 10 anos de idade, nos braços e pernas, melhorando após os 20 e 30 anos, ou com o passar do tempo.

Diagnóstico da queratose pilar

Não há testes de laboratório ou exames específicos dermatológicos para diagnosticar a queratose pilar, apenas um exame físico junto a uma avaliação do histórico clínico do paciente são suficientes.

Tratamento para queratose pilar

A queratose pilar não tem cura, embora não seja uma condição grave e, em poucos casos, pode desaparecer sozinha. 

 

Em geral, o dermatologista pode prescrever o uso de cremes ceratolíticos e hidratantes, com ureia, cremes com ácidos, óleos vegetais ou Vitamina A para aliviar a aparência estética.

 

O objetivo é promover a renovação celular do local e evitar o ressecamento da pele para suavizar a produção de queratina na pele. 

 

Casos mais avançados, por exemplo, recomenda-se alguns procedimentos estéticos juntamente aos cremes, como o peeling químico e a microdermoabrasão.

Creme para queratose pilar 

Como dissemos, a queratose pilar não causa riscos para a saúde e ainda desaparece sozinha. No entanto, há quem fique desconfortável com a aparência e textura da pele.

 

Nestes casos, o dermatologista pode indicar alguns tratamentos para queratose pilar com fins estéticos, com o intuito de hidratar a pele e disfarçar as bolinhas, através do uso de cremes específicos, como por exemplo:

 

  • Cremes para queratose pilar com ácidos e ureia em sua formulação, que promovem a renovação celular, removendo as células mortas na superfície da pele, para uma hidratação mais profunda. No entanto, podem causar ligeira vermelhidão e sensação de queimação no local, desaparecendo em poucos minutos;
  • Cremes com óleos vegetais e/ou vitamina A, para promover maior hidratação das camadas da pele, com objetivo de reduzir a quantidade de bolinhas na pele.

Posts de Queratose Pilar

tratamento para queratose pilar
Queratose Pilar
admin@tendskinbrasil.com.br

Tratamento para queratose pilar

Você sabia que existe tratamento para queratose pilar? Pele áspera, cheia de pequenas erupções levemente enrijecidas, avermelhadas ou esbranquiçadas, são sintomas da queratose pilar, popularmente

LER MAIS »